Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/14025

Title: Processo de colonização de macroinvertebrados, após várias enxurradas de efeitos catastróficos, num rio temporário meditterânico (Rio Degebe, Bacia hidrográfica do Guadiana)
Authors: Mira, Maria Inácia Arriaga
Advisors: Morais, Maria Manuela
Keywords: Colonização de macroinvertebrados
Rio temporário mediterrânico
Rio Degebe, bacia hidrográfica do Guadiana
Enxurradas
Issue Date: 2000
Publisher: Universidade de Évora
Abstract: Com este trabalho pretendeu-se estudar o processo de colonização da comunidade de macroinvertebrados, após várias enxurradas de efeitos catastróficos num rio temporário de caracteristicas mediterrânicas (Rio Degebe, Bacia Hidrográfica do Guadiana). Definiram-se três locais que foram amostrados logo após um período, no Inverno (Outubro de 1995 a Fevereiro de 1996), caracterizado pela ocorrência de várias enxurradas de efeitos catastróficos. A amostragem decorreu durante noventa e três dias, tendo-se utilizado uma rede de mão como método de captura. A caracterização fisico-química da água foi feita com base nas seguintes variáveis abióticas: Velocidade da Corrente, Temperatura, Oxigénio Dissolvido, Potencial Redox e Condutividade. Procedeu-se à análise dos parâmetros fisico-químicos e da diversidade, como forma de verificar as repercussões que as alterações ambientais decorrentes das enxurradas, tiveram na estrutura das comunidades. Observou-se que a riqueza taxonómica e a abundância sofreram reduções significativas após fenómenos de enxurrada, no entanto evidenciaram uma tendência crescente ao longo do trabalho. A diversidade e a equitabilidade evoluíram de uma forma descontinua ao longo do período estudado, não mostrando tendência para uma estabilização das comunidades. Verificou-se assim, uma baixa resistência (observando-se uma diminuição imediata do número de indivíduos com o aumento de caudal), mas uma elevada resiliência (o número de indivíduos aumentou logo após uma ligeira estabilização do sistema) das comunidades de macroinvertebrados às enxurradas. A análise taxonómica da comunidade evidenciou uma resiliência diferenciada por grupo. Chironomidae foi o grupo que evidenciou maior resiliência. Estudou-se ainda as alterações na estrutura trófica das comunidades, tendo-se verificado que após enxurradas os colectores filtradores tendem a aumentar a sua proporção relativa (Simuliidae surgiram como os principais contribuintes, neste grupo trófico), seguidos pelos fitófagos (maioritariamente constituídos por Orthocladinae, taxa que evidenciou maior resiliência). Detritivoros e predadores constituíram uma ínfima parcela das comunidades de macroinvertebrados amostradas.
URI: http://hdl.handle.net/10174/14025
Type: masterThesis
Appears in Collections:BIB - Formação Avançada - Teses de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Maria Inácia Arriaga Mira - Tese de Mestrado - 103 048.pdf95.86 MBAdobe PDFView/OpenRestrict Access. You can Request a copy!
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois