Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/17716

Title: Análise do efeito da resolução espacial do modelo digital de superfície de escoamento na delimitação de zonas inundáveis.
Authors: Fernandez, Paulo
Gomes Pereira, Luísa
Moreira, Madalena
Gonçalves, Gil
Keywords: LiDAR
Cartografia a escala grande
Ortoimagens CIR
Resolução Espacial,
Modelo Digital de Superfície de Escoamento
Zonas Inundáveos
Issue Date: Oct-2015
Publisher: Ordem dos Engenheiros
Citation: Paulo Fernandez, Luisa Pereira, Madalena Moreira, Gil Gonçalves. 2015. Análise do efeito da resolução espacial do modelo digital de superfície de escoamento na delimitação de zonas inundáveis. VIII CNCG, Lisboa 28 e 29 de Outubro
Abstract: O perigo de inundação é um componente da avaliação do risco de inundação. Um dos elementos fundamentais na avaliação do perigo de inundação é a estimativa da extensão da zona inundável. Neste trabalho é estudado o efeito da resolução espacial do Modelo Digital de Superfície de Escoamento (MDSe) na extensão da zona inundável. São criados três MDSe de diferentes resoluções que resultam da integração de dados LiDAR, cartografia a escala grande e ortoimagens CIR (Colour Infra-Red). Os dados LiDAR, devidamente filtrados dos objetos no terreno, são convertidos em três Modelos Digitais de Terreno (MDT) em formato raster com 1 m, 2 m, e 4 m. Da cartografia é extraído o edificado na forma de um raster. A vegetação com altura inferior a 2 m é por sua vez extraída das ortoimagens CIR. Os rasters dos objetos e vegetação são redimensionados para células de 1 m, 2 m e 4 m. Os três MDSe assim obtidos são utilizados na simulação hidráulica, com a aplicação do modelo LISFLOOD-FP e com o objetivo de determinar as zonas inundáveis. A metodologia aqui proposta é aplicada a uma zona nas margens do Rio Febros, em Vila Nova de Gaia. Os resultados mostram um aumento de 13% e 20% das áreas inundáveis, respetivamente pela duplicação e quadruplicação da resolução espacial. Conclui-se que uma menor resolução espacial leva a uma sobrestimação da extensão de inundação, que se traduz num aumento da zona de perigo e portanto, um acréscimo de segurança na estimativa do risco de inundação. Relativamente ao tempo computacional, ele é reduzido 15,7 vezes, se a resolução espacial passar de 2 m para 4 m e de 3,8 vezes quando passa de 1 m para 2 m. Assim, numa análise conjunta do desempenho do próprio modelo e da eficiência computacional pode ser considerada como aceitável, a utilização de uma resolução mais grosseira para avaliação do perigo de inundação.
URI: http://viiicncg.ordemengenheiros.pt/fotos/editor2/VIIICNCG/cncg2015_comunicao_71.pdf
http://hdl.handle.net/10174/17716
ISBN: 978-989-8152-10-7
Type: article
Appears in Collections:ICAAM - Artigos em Livros de Actas/Proceedings

Files in This Item:

File Description SizeFormat
1 pag.pdf98.35 kBAdobe PDFView/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois