Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/15548

Title: Elementos para o estudo da pintura mural em Évora durante o período moderno: evolução, técnicas e problemas de conservação
Authors: Botto, Maria Margarida Ferreira da Cunha Donas
Advisors: Serrão, Vítor
Keywords: Conservação
Técnicas
Recuperação
Pintura moral
Évora (Portugal)
Issue Date: 1998
Publisher: Universidade de Évora
Abstract: Introdução - O trabalho de tese que nos propomos desenvolver - pese embora uma vertente quiçá demasiado abrangente - corresponde, em primeiro lugar, a uma necessidade sentida de «re-divulgar» - ainda que duma forma forçosamente restrita e algo linear - um património rico e particularmente significativo da cultura alentejana, num domínio em que atingiu uma originalidade e um vigor notáveis. Com efeito, e apesar do trabalho metódico, apaixonado e exaustivo de Mestre Túlio Espanca, cujos volumes do Inventário Artístico de Portugal dedicados a Évora e à parte Norte do distrito de Beja são, ainda, a base de trabalho para qualquer estudioso ou interessado em conhecer a história e arte destes distritos, o levantamento sistemático e rigoroso da pintura mural -durante muito tempo considerada quase como uma arte menor, de escassa representação nos monumentos portugueses em comparação com o esplendor dos frescos italianos - continua em grande parte por fazer. E, contudo, são cada vez mais numerosos os exemplos de pinturas cobertas por sucessivas camadas de cal, entrevistas casualmente no decurso de trabalhos estruturais de recuperação ou conservação, ou as que, substituídas por retábulos de madeira - de factura mais elaborada e dispendiosa mas muito do agrado de encomendantes, sobretudo a partir de meados do século XVI - permaneceram ignoradas até ao seu reaparecimento presente. A impossibilidade de realizar um corpus de toda a pintura mural existente no Alentejo, ou mesmo no âmbito mais confinado, ainda que artificial, dos limites do concelho de Évora, levou-nos a uma optar por uma selecção dos exemplos a focar - como mais representativos ou emblemáticos de uma corrente estética, duma época ou duma temática que, porque recorrente, se torna particularmente significativa - em detrimento dum inventário' que seria forçosamente incompleto e provavelmente excedentário num trabalho desta natureza. Procurou-se, assim, entrosar metodologias de abordagem diversas, com destaque para a análise formal do objecto e para a problemática do restauro que lhe está associada, sendo que a própria natureza da pintura mural, pela sua particularidade, requer uma perspectiva igualmente específica. Não é por conseguinte nosso objectivo realizar uma tese em História de Arte, pese embora a importância dum estudo sistemático dedicado à identificação e análise iconográfica de matéria tão rica, nem tão pouco elaborar um projecto de restauro - sendo que ambas as vertentes se afastariam da nossa formação e dos objectivos deste curso; é-o, sim, o de identificar, explicar e caracterizar a evolução da pintura mural em Évora, usando como veículo alguns imóveis escolhidos de acordo com a sua representatividade em termos estéticos, estruturais ou até sociológicos. Os edifícios escolhidos, não formam, assim, um grupo a quem se reconheçam imediatas características identificativas: une-os apenas o facto de todos eles possuírem elementos pictóricos, mas divergem na técnica utilizada, na identidade construtiva, na cronologia, na própria localização; nessa diversidade radica um dos objectivos deste trabalho, o de encontrar a linha evolutiva dum género pictórico que, assumida e persistentemente, marcou presença na esfera de influência da Évora metropolitana; e o de, a par desse rumo, reconhecer os problemas de conservação que lhe são inerentes. Daí que o objecto de estudo se reparta pela pintura palaciana e erudita, símbolo da cidade culturalmente buliçosa do Cinquecento, pela matriz provinciana de importante expressão local, pela ermida mais isolada - acusando irremediavelmente as consequências da desertificação e do abandono - até ao erudito jogo perspéctico do trompe l'oeíl barroco, em que a pintura é assumida na sua capacidade máxima de transfiguração do real. Da mesma forma, não se procurou restringir o universo a uma das técnicas de pintura utilizadas nos revestimentos murais, sendo que as mais divulgadas -fresco e têmpera - se interseccionam e se complementam, procurando responder ao mesmo anseio a um tempo decorativo, pedagógico e identificativo que pauta a sua utilização. Daí que qualquer abordagem, ainda que específica, deverá ter por base o entendimento primeiro de que a pintura mural é parte integrante do conjunto edificado. A pintura mural como revestimento, como arquitectura - é-o enquanto elemento último da caracterização dum espaço - como técnica, artifício e mestria, como espelho e instrumento da cultura vigente, como legado sociológico, estético e histórico dum tempo, dentro duma zona de contornos imprecisos agora, outrora claros, e dum tempo - o período moderno - que antecede a contemporaneidade e que, embora diverso, é suficientemente uno para se entender enquanto percurso - eis os objectivos primários deste trabalho; os últimos - mas não secundários - os de que ele sirva, de alguma forma, para ajudar a deter o processo de abandono, incúria e desprezo a que este género pictórico se encontra ainda votado.
URI: http://hdl.handle.net/10174/15548
Type: masterThesis
Appears in Collections:BIB - Formação Avançada - Teses de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Maria Margarida Ferreira da Cunha Donas Botto - Tese de Mestrado - 149 319.pdf36.21 MBAdobe PDFView/OpenRestrict Access. You can Request a copy!
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois