Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/15044

Title: Necessidades hídricas do olival regado no Alentejo
Authors: Cheveia, Etevaldo Calisto
Advisors: Santos, Francisco Lúcio Brito dos
Keywords: Fluxo de seiva
Transpiração
Balanço hídrico
evapotranspiração
Sap flow
Transpiration
Water balance
Evapotranspiration
Issue Date: 2012
Publisher: Universidade de Évora
Abstract: As necessidades hídricas da oliveira são uma questão muito importante na região mediterrânica devido as condições climáticas da zona, que é caracterizada por verões muito quentes e secos. Este cenário obriga a que se tenha que recorrer a sistemas de rega para fornecer água à cultura, para que se obtenham produções aceitáveis comercialmente (comercialmente viáveis). O presente trabalho foi realizado em duas herdades, Álamo de Cima e Olivais do Sul. A primeira segue o regime intensivo de plantação, com aproximadamente 300 árvores por hectare e a segunda o regime super-intensivo, com cerca de 2000 árvores por hectare. O objectivo do ensaio foi avaliara transpiração de dois olivais (intensivo e super-intensivo) com o método de fluxo de seiva, ao longo do período de rega; avaliar também a evapotranspiração cultural usando o método do balanço hídrico e os coeficientes culturais dos dois olivais ao longo do período de rega;e relacionar a transpiração com o balanço e potenciaishídricos, e com a produção dos dois olivais. Em cada herdade foram testadas duas dotações de rega diferentes, FI (rega praticada e conduzida pelos técnicos na herdade) e DI (rega a testar). Para a herdade Álamos de Cima, a modalidade FI usa gotejadores de 1,6 L/hde débito para a rega do agricultore gotejadores de 2,3 L/h para a modalidade DI (rega a testar). Para a herdade Olivais do Sul, a modalidadeFI (rega praticada e conduzida pelos técnicos na herdade) tem gotejadores de 2,3 L/h, com gotejadores de 1,6 L/h para a modalidade DI (rega a testar). Em ambas as herdades e modalidades de rega, a calendarização e os tempos de rega são da responsabilidade do agricultor, daí a substituição de rampas com diferentes gotejadores para se obter as dotações desejadas nas modalidades a testar. Em cada modalidade de rega foram escolhidas 3 linhas consecutivas de árvores no olival onde se instalou, na segunda linha e em 3 árvores consecutivas, sondas de fluxo de seiva para medir a transpiração em contínuo, servindo as outras linhas de bordadura. Instalaram – se tubos de acesso à sonda de humidade no solo para se monitorar a humidade e deste modo calcular – se a variação do armazenamento, que é uma das componentes da equação do balanço hídrico para a determinação da evapotranspiração cultural.Na herdade do Álamo de Cima a transpiração da cultura foi maior para a modalidade DI (com gotejadores de 2,3 L/h e dotação mais elevada) com 202 mm, enquanto que a FI (com gotejadores de 1,6 L/h e menor dotação) registou 177,2 mm. Na herdade Olivais do Sul a transpiração foi maior para a modalidade FI (de maior dotação)com 349,1 mm,enquanto que a DI (de menor dotação)registou 345,2 mm. Esta transpiração corresponde à transpiração integral do período, que foi de 06/05 a 06/10/11. A evapotranspiração cultural pelo método do balanço hídrico foi de 435,1 mm para a modalidade FI, e de 412,8 mm para a modalidade DI epara a herdade dos Olivais do Sul, correspondendo ao já verificado com a transpiração obtida pelo método do fluxo de seiva. Para a herdade - Álamo de Cima, a evapotranspiração foi de 327,3 mm para a modalidade FI e 312,3 mm para a modalidade DI. Em relação à produção, os rendimentos foram de 1,78 toneladas por hectare para a modalidade FI e de 2,45 toneladas por hectare para a modalidade DI e para a herdade do Álamo de Cima. Na herdade Olivais do Sul o rendimento foi de 18,7 toneladas por hectare para a modalidade FI e de 14,1 toneladas por hectare para a modalidade DI; ABSTRACT:The water requirements of olive are very important issuein the Mediterranean region due to the climatic conditions of the area which is characterized by very hot summer and dry. This scenario obliges to resort to watering systems to supply water to the crop for the achievement of commercially acceptable yields (commercially viable). This study was conducted at two farms, Alamo de Cima and Olivais do Sul. The first uses intensive regime (around 300 trees per hectare) and the second super-intensive (around 2000 trees per hectare). The aim of this study was to calculate the transpiration of two groves (intensive and super-intensive) with the method of sap flow throughout the irrigation period; calculate the crop evapotranspiration by water balance method and the crop coefficients of the two groves along the irrigation period; relate transpiration with the water balance and yield of the two groves. In each farm were tested two modes of irrigation. For Alamo de Cima farm, FI (irrigation practiced on the farm) uses drip irrigation with 1,6L/h and DI (irrigation test) with 2,3L/h. For the farm Olivais do Sul FI (irrigation practiced on the farm) uses drip irrigation with 2,3 L/h and 1,6L/ h for DI (irrigation test). In each mode of irrigation were chosen three consecutive rows of olive trees where were settled in the second rowon 3 consecutive trees sap flow probes to measure the transpiration continuously. Acess tubes were settled in the soil to monitor soil moisture in order to calculate the variation of water storage which is a component of the water balance equation for the determination of evapotranspiration. In the Alamo de Cima farm the transpiration was higher for DI mode with 202 mm while the FI recorded 177,2 mm. In the Olivais do Sul farm the transpiration was higher for FI mode with 349,1 mm while the DI recorded 345,2 mm. This transpiration corresponds to transpiration for the period from 06/05 to 06/10/11.Evapotranspiration by the water balance method was 435,1 mm for the FI mode and 412,8mm for DI mode for the Olivais do Sul farm. For the Alamo de Cima farm the evapotranspiration was 327,3 mm for the FI mode and 312,3 mm for DI mode. In relation to production, yields were 1,78 t/ha for the FI mode and 2,45 t/ha for DI mode for the AC farm. In the OS farm the yield was 18,7 t/ha for the FI mode and 14,1 t/ha for DI mode, reflecting the added water, and the transpiration and evapotranspiration.
URI: http://hdl.handle.net/10174/15044
Type: masterThesis
Appears in Collections:BIB - Formação Avançada - Teses de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Out2012-Etevaldo Calisto Cheveia_Tese de Mestado em Engenharia Agronomica.pdf1.87 MBAdobe PDFView/OpenRestrict Access. You can Request a copy!
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois