Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/8720

Title: Variabilidade espacial de características químicas do solo: relações com a topografia do terreno e com a produtividade do milho
Authors: Marques da Silva, José Rafael
Alexandre, Carlos
Issue Date: 2005
Publisher: Sociedade de Ciências Agrárias de Portugal
Citation: Marques da Silva, J. R., Alexandre, C. 2005. Variabilidade espacial de características químicas do solo: relações com a topografia do terreno e com a produtividade do milho. Revista de Ciências Agrárias, Vol. 28, 2: 343-352.
Abstract: Com este trabalho pretende-se: analisar a variabilidade espacial de propriedades químicas da camada arável do solo (<25 cm), concretamente, o fósforo e potássio extraíveis, o pH, o cálcio, magnésio e potássio de troca e a capacidade de troca catiónica; avaliar a estratégia de amostragem adoptada; pesquisar as relações existentes entre as características químicas do solo, a topografia do terreno e a produtividade, considerando também as respectivas implicações para a nutrição vegetal. Este estudo iniciou-se em Agosto de 2001, incidindo sobre uma área de cerca de 15 ha, localizada numa exploração agrícola na região Alentejo, Terena, 80 km a Este de Évora, onde se pratica a cultura de milho regado com rampa de rega rotativa há cerca de 10 anos. Efectuou-se um levantamento da topografia do terreno com um sistema de posicionamento global (GPS), adoptando uma densidade de amostragem de 5 m na linha e 15 m na entrelinha. Foram amostrados 1111 pontos para a medição da produtividade, utilizando para isso uma ceifeira com um “kit” de agricultura de precisão. Recolheram-se 109 monólitos de solo até uma profundidade no máximo de 120 cm, recorrendo a uma sonda mecânica e adoptandoamostragem sistemática numa malha de aproximadamente regular. Os solos observados são maioritariamente Regossolos e Cambissolos Calcários, com alguns Luvissolos e Fluvissolos. Verificou-se que o reconhecimento da distribuição espacial de nutrientes no solo requer diferentes técnicas de amostragem, que se devem adequar ao comportamento de cada nutriente no solo e às práticas culturais utilizadas em cada exploração. Comprovou-se, também, que 2 as propriedades químicas do solo estudadas sofrem importantes variações no espaço, com efeitos potencialmente significativos sobre a produtividade das culturas, por exemplo, verificamos que a amplitude da concentração de potássio de troca poderá ser superior a 9 vezes em locais relativamente próximos. Estas variações são apenas parcialmente dependentes das variáveis topográficas consideradas. A variação das características químicas do solo e da topografia têm consequências imediatas ao nível da produtividade da cultura e consequentemente deveriater também implicações ao nível da nutrição vegetal, o que vulgarmente não acontece.
URI: http://hdl.handle.net/10174/8720
Type: article
Appears in Collections:ICAAM - Publicações - Artigos em Revistas Nacionais Com Arbitragem Científica

Files in This Item:

File Description SizeFormat
2005_MarquesSilva&Alexandre_RCA_28_2_343-352.pdf1.21 MBAdobe PDFView/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois