Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/8715

Title: Variabilidade espacial da produtividade do milho de regadio e sua relação com a topografia.
Authors: Marques da Silva, José Rafael
Alexandre, Carlos
Mogo, Pedro
Rosado, João
Issue Date: 2004
Publisher: Sociedade de Ciências Agrárias de Portugal
Citation: Marques da Silva, J. R., Alexandre, C., Mogo, P. & Rosado, J. 2004. Variabilidade espacial da produtividade do milho de regadio e sua relação com a topografia. Revista de Ciências Agrárias, Vol. 27, 1: 404-413.
Abstract: A topografia e a produtividade foram amostradas em dois lugares diferentes, o lugar A e o lugar B, dentro da mesma parcela de rega e com uma área respectiva de 26 e 24 ha. O objectivo deste trabalho passou por determinar que tipo de relações estatísticas existem entre duas variáveis principais, a produtividade do milho e a topografia. O estudo, localizado na região Alentejo, Terena, Alandroal, 80 km a Este de Évora, iniciou-se em Agosto de 2001. A densidade de amostragem para a topografia foi de 5 m na linha e 15 m na entrelinha. A produtividade do milho foi medida com uma ceifeira, equipada com um sensor de débito e posicionada com um Sistema de Posicionamento Global (DGPS). A densidade de amostragem foi irregular com 1111 pontos colhidos no lugar A e 777 pontos colhidos no lugar B. Foi desenvolvida uma base de dados, em sistema de informação geográfica, para gerir toda ainformação recolhida no campo e para a elaboração de análises diversas. Uma análisegeoestatística aos dados, mostrou que os padrões espaciais da variabilidade da produtividade do milho, não só variam de um lugar para outro, dentro da mesma parcela, mas também de uma zona para outra, dentro do mesmo lugar. Análises de regressão múltipla indicaram que a Área Contributiva (ACe) com escoamento a montante de umdeterminado ponto e o Índice de humedecimento de Moore (IM) têm um efeito significativo sobre a produtividade. Estes parâmetros topográficos puderam apenas explicar 28% de toda a variabilidade da produtividade, nos dois sítios analisados em simultâneo, no entanto, 48% da variabilidade da produtividade do milho pode ser explicada para uma determinada classe de dados no lugar A. Os resultados preliminares deste estudo permitem afirmar que o Índice de Moore e a Área Contributiva específica são dois parâmetros importantes no diagnóstico de zonas de baixa produtividade devido a déficit hídrico e devido a problemas de drenagem do solo, respectivamente. Estes resultados providenciaram informação quantitativa importante sobre a influência da topografia na produtividade do milho irrigado em topografias complexas.
URI: http://hdl.handle.net/10174/8715
Type: article
Appears in Collections:ICAAM - Publicações - Artigos em Revistas Nacionais Com Arbitragem Científica

Files in This Item:

File Description SizeFormat
2004_MarquesSilva&al_RCA_27_1_404-413.pdf1.5 MBAdobe PDFView/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois