Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/7777

Title: Máquina para a colheita contínua de azeitona em olivais intensivos
Authors: Dias, António Bento
Cardoso, V.
Reynolds de Souza, D.
Falcão, J.M.
Pinheiro, Anacleto
Peça, J.O.
Editors: Bento, Albino
Pereira, José Alberto
Keywords: olival intensivo
colheita contínua de azeitona
Issue Date: Nov-2012
Publisher: Associação Portuguesa de Horticultura
Citation: Dias, A.B., Peça,J.O., Cardoso,V., Reynolds de Souza, D., Falcão, J. M., Pinheiro, A. (2012).Máquina para a colheita contínua de azeitona em olivais intensivos. Actas Portuguesas de Horticultura nº 21, p. 87-94, ISBN -978-972-8936-13-6
Abstract: A diminuição dos custos de colheita nos olivais intensivos (200 a 550 árvores por hectare) terá de ser encarada como tarefa urgente para que estes olivais possam ser competitivos. Nestes olivais, a técnica tradicional de colheita com vibradores de tronco encontra limitações, como a falta de espaço para o desempenho de equipamentos de recolha associados aos vibradores; mas é sobretudo, devido a ser uma técnica descontínua, baseada numa repetição de ciclos de manobras, que origina enorme fadiga no pessoal e equipamento. Estas limitações motivaram o aparecimento de equipamentos de colheita por vibração da copa da árvore, que realizam a colheita de uma forma contínua. Assim, além de permitirem maiores capacidades de trabalho, dispensam grande parte da mão-de-obra requerida nos processos descontínuos. Presentemente o mercado dispõe de equipamentos de colheita em contínuo de azeitona por vibração da copa, que se baseiam em máquinas automotrizes de vindimar ou da colheita de café. Invariavelmente, uns e outros, estão concebidos para cavalgar as árvores (deslocamento por cima das linhas), pelo que, mais tarde ou mais cedo, a sua utilização estará condicionada pelo crescimento das plantas. Em olivais intensivos de cultivares locais, apenas é possível utilizar estes equipamentos nos primeiros 2 anos de produção. Existem ainda no mercado equipamentos que, não obstante cavalgarem as árvores, possuem dimensões apreciáveis e, por este motivo, estão menos limitados na sua prestação. É, contudo, o seu peso (várias dezenas de toneladas) que impõe limitações no contexto Europeu, já que os solos encharcados nos meses de Outubro a Janeiro, condicionam fortemente o desempenho de máquinas concebidas para evoluírem em condições de solo muito diferentes (na época de colheita) nos seus países de origem (Argentina; Austrália). Apenas equipamentos que executem a colheita através de uma abordagem lateral, sem passar por cima da árvore, evitarão a limitação imposta pelo crescimento natural. Perante esta realidade iniciou-se em 2009 a conceção, desenvolvimento e construção de um protótipo para a colheita em contínuo dos olivais intensivos. Trata-se de uma solução que é constituída por duas unidades idênticas que trabalham simetricamente à direita e à esquerda da linha de oliveiras, sendo cada uma das unidades semi-rebocada por um trator agrícola. Cada uma das máquinas destaca, recolhe e armazena temporariamente a azeitona, que posteriormente é transferida para um semirreboque. O presente trabalho apresenta a cronologia do projecto e a tecnologia, tal como se apresenta no estado atual de desenvolvimento.
URI: http://hdl.handle.net/10174/7777
ISBN: 978-972-8936-13-6
Type: article
Appears in Collections:ICAAM - Publicações - Artigos em Revistas Nacionais Com Arbitragem Científica
ERU - Publicações - Artigos em Revistas Nacionais Com Arbitragem Científica

Files in This Item:

File Description SizeFormat
MCCA-actas.pdf63 kBAdobe PDFView/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois