Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/2356

Title: Controlo de Infestantes em pós-emergência em trigo de sementeira directa
Authors: Barros, José
Keywords: Infestantes, herbicidas, sementeira directa
Issue Date: Oct-2008
Publisher: Universidade de Évora - Departamento de Fitotecnia
Abstract: Sendo a produção vegetal fundamental para a sobrevivência humana, há que minimizar os prejuízos elevados a que é frequentemente sujeita, causados por doenças, pragas e infestantes. Não obstante os diversos meios de luta disponíveis, o agricultor vê-se na maioria das vezes, forçado a realizar tratamentos fitossanitários de modo a reduzir esses prejuízos. As infestantes são na actualidade, um dos principais, senão o principal inimigo das plantas cultivadas, principalmente as infestantes anuais, consequência do seu elevado poder de propagação, podendo em algumas espécies, uma só planta produzir milhares de sementes, com grande parte dessas a serem duras, podendo passar vários anos no solo e germinar quando as condições lhes forem favoráveis. Por outro lado, estas infestantes são facilmente disseminadas pelo vento, águas de escorrimento e pelos próprios animais que as ingerem e transportam, indo por vezes germinar a grandes distâncias dos locais onde foram produzidas. Para controlar infestantes, o agricultor dispõe de meios mecânicos e químicos. Enquanto em determinadas situações utilizar uns ou outros poderá ser apenas uma questão de opção, em pós-emergência de cereais de Outono/Inverno, apenas a opção química é possível, independentemente do sistema de mobilização do solo utilizado pelo agricultor. Sendo a sementeira directa um sistema de mobilização que não causa distúrbio no solo, será de esperar uma germinação menos escalonada das infestantes ao longo do ano. Isto possibilitará um controlo das infestantes em pós-emergência numa fase mais precoce do seu desenvolvimento, quando se encontrem mais sensíveis ao herbicida o que poderá permitir a utilização de doses e volumes de calda inferiores aos normalmente recomendados, conseguindo-se um controlo elevado de infestantes e consequentemente manter-se a produção potencial da cultura. Menores doses e menores volumes de calda utilizados, conduzirão obviamente à redução dos custos de produção para o agricultor e a um menor impacto ambiental que causa a aplicação de produtos químicos, nomeadamente os herbicidas. No presente trabalho serão apresentados os resultados obtidos em ensaios levados a cabo pelo Departamento de Fitotecnia da Universidade de Évora durante vários anos e com diferentes herbicidas de pós-emergência no controlo de infestantes mono e dicotiledóneas em trigo de sementeira directa, ensaios estes que tiveram a finalidade de estudar a redução das doses de herbicida e dos volumes de calda aplicados na eficiência do controlo dessas infestantes e na produção de grão na cultura.
URI: http://hdl.handle.net/10174/2356
Type: book
Appears in Collections:ICAAM - Publicações - Livros
FIT - Publicações - Livros

Files in This Item:

File Description SizeFormat
SEBENTA 5.docDocumento Principal1.73 MBMicrosoft WordView/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois